Paulada 90 decibéis – Fim dos Tempos?

Alguém aí já ouviu falar em IFPI? Não? Até agora…

A IFPI (sigla para Federação Internacional da Indústria Fonográfica, traduzindo) é uma reunião de mais de 1.400 empresas discográficas, formada em 1997, com intuito de representar os interesses da Indústria Fonográfica, a Indústria da música, que é o que nos interessa nessa coluna.

Entenda-se por “interesses”, basicamente, o combate a violação de Direitos Autorais e derivados.

Em recente relatório sobre o mercado fonográfico de 2010, mas precisamente sobre a música digital (que são aquelas adquiridas através de meios digitais, principalmente por downloads) a IFPI apresentou números otimistas: em comparação a 2009, houve crescimento de 6% no lucro com a musica digital.

Isso seria animador, não houvesse uma concorrência desleal na outra ponta: a pirataria online, vulgo, downloads ilegais.

Ta aí um assunto muito delicado…

Se pararmos para analisar, adquirir algo de maneira gratuita, de um trabalhador, que honestamente produziu aquele material, sem dar um retorno pelo “serviço prestado” pelo artista, é realmente uma sacanagem.

A questão é: tem solução?

O governo simplesmente ceder, e tornar legal esse tipo de conduta é uma afronta a ética, a constituição federal, a moral, os bons costumes e, principalmente aos princípios trabalhistas. E além das questões filosóficas, existe ainda o principal problema em ceder: A Indústria Fonográfica. O símbolo musical do capitalismo. O capitalismo que domina o mundo e controla os interesses de todas as nações. Que dita às diretrizes da vivência.

Falando desse jeito, até parece uma guerra. Bem, talvez seja…

Fato é, que as coisas atingiram um patamar que talvez não tenha volta. O que fazer? Prender cada individuo que fizer um download ilegal? Criar meios para bloquear esses downloads? (Certo Assange, mostra que isso não é possível).

Provavelmente estamos caminhando para o fim de uma era e o nascimento de outra. Em breve, a indústria fonográfica não passará de uma lembrança (boa ou ruim, dependendo do ponto de vista), os artistas farão músicas unicamente para downloads (o que já vem acontecendo) e lucrarão com shows (não é a toa que expansão das turnês tem se tornado cada vez mais comum).

Por mais que ainda haja obstáculos, não há volta…

Comentários com Facebook

comentários com facebook

3 thoughts on “Paulada 90 decibéis – Fim dos Tempos?

  1. Não é segredo que os músicos ganham grana é com show mesmo, pois mesmo nos anos 90 a pirataria “física” de cds já era absurda, quem lucra mesmo com venda de cd, dvd e afins são as gravadoras/distribuidoras. Acho que os músicos tem que ficar felizes com a galera baixar cantar e depois ir prestigiar o artista nos shows. Radio Head começou com isso e é referencia na venda de audio online hoje, mas faço uma resalva para o Pedra Letícia que sempre disponibiliza todo o cd online para os fãs de gratis… Tenho dito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *