Sobrenatural, do jeito que o figurino manda

Eis mais um momento em que entro em uma sala de cinema esperando ver um filme de terror. Durante uma busca implacável a alguma produção que causasse mais do que alguns sustos cheguei a conclusão de que este é de fato o tipo de cinema mais dificil de se fazer.

 

Sobrenatural é um filme do diretor James Wan com roteiro de Leigh Whannell, dupla que já se encontrou em Saw curta e alguns dos Saw longa, jogos mortais em  tradução oficial, mas o curta não faz parte da sequencia do filme jogos mortais. Trata-se na verdade de um curta que depois foi utilizado como cena em um dos filmes jogos mortais, alias como ferramenta estratégia além da menção no pôster do filme sobre a franquia do jogos mortais, é perceptível em uma das cenas de Sobrenatural uma caricatura infantil de Jigsaw na lousa, mas mesmo com todo este apelo para a criativa série de Jogos mortais e outras como Atividade paranormal este filme derrapa na curva durante uma corrida que poderia ser um sucesso.

A história gira em torno da família Lambert durante sua mudança para uma nova casa, os integrantes da família são Renai Lambert interpretada pela bela atriz Rose Byrne, mãe de Dalton e Foster Lambert interpretados respectivamente por Ty Simpkins e Andrew Astor, e de uma recém-nascida que não encontrei em casting nenhum. Nem no IMDB e nem no site oficial(?) E claro o pai Josh Lambert, Patrick Wilson.

Enrolar um pouco para desenrolar

Tudo corre muito bem até que em uma visita para o sótão da nova casa a mãe parece perceber que algo está errado, mas como em todo bom filme, a coisa vai enrolar um pouco para desenrolar ainda.
É noite a família se reúne na sala para aproveitar o que restou de um dia cheio, até que embalado pela sua brincadeira, e uma porta escura amedrontadora e incrivelmente convidativa, Dalton, irmão do meio sobe até o Sotão para explorar, difícil de acreditar pois não conheço muitas crianças até nove anos que não tenham medo do escuro.

Mas este é um intrépido representante de seu espécime e corajoso sobe ao terrível sótão para sabe se lá fazer o que.
Em determinado momento em sua aventura ele cai, até ai tudo bem, é quando olha para o fundo do mausoléu que a coisa fica feia, gritaria, barulhos terríveis e o garoto parece bem, mas só parece.

O resto do filme conta uma série de eventos descendentes da visita destemida, mas vamos parar por aqui com a história para não dar spoilers.

Montanha Russa

É comum como já disse em muitas críticas que os filmes sigam um padrão de acontecimentos parecidos, é uma espécie de muleta superfuncional e amplamente utilizada para não cometer gafes. Mas no caso de Sobrenatural o padrão é tão explicito que você consegue antever várias cenas do filme, descobrir desfechos e tudo mais, este é um dos probleminhas deste filme, outro bem mais grave que este foi o jeito que a história foi abordada. Quando tratamos de espíritos, seres sobrenaturais, o terror de verdade está em nunca ser apresentado completamente ao dito cujo. Qualquer artificio que sirva para evidenciar estes seres é de bom uso, como os famosos desenhos de crianças perturbadas. Infelizmente não consegui nenhum aqui, mas esta tática sempre funciona.
Cenas de relance por exemplo. Nada explicito ou muito extenso pois assim a inteligência do espectador não é negligenciada, e ele mesmo pode deixar sua imaginação completar determinada cena.

O filme é uma montanha russa de ótimas e péssimas ideias, como a trilha sonora com violinos assustadores, a introdução saudosista e os planos de filmagem são pontos positivos, dão um tipo diferente de imersão e por vezes te joga em um filme da década de 80 ou 90 mais sofisticados, ponto muito positivo. Mas então a montanha russa desce vertiginosamente com péssimas interpretações, tentativas falhas de susto, exposições ridículas dos fantasmas e a coisa só vai piorando, pois a medida em que o filme vai se desenvolvendo o mistério e a dúvida vão se dissipando e dando espaço a luta entre homem versus espíritos, com direito a empurrões perseguições bordoadas e tudo mais.

Só mais um

De qualquer forma este é só mais um fraco representante do gênero, lembrando bastante o filme A profecia 666 lançado no dia 06/06/2006 com os ousados cenários e aparatos, evidenciando mais um lado fantástico do que real, outra coisa interessante é que um dos principais algozes do filme é irmão gêmeo do Darth Maul, vilão de Star Wars. Agora fica a dúvida, foi proposital? Falta de atenção? Um depois o outro?

Para quem gostou da história, recomendo ler a linha de livros da White Wolf, World of Darknnes, tudo que está no filme é explicado e aprofundado nesta linha.

 

http://www.youtube.com/watch?v=IfcHoXTlMX0

 

Alexandre Prados

Comentários com Facebook

comentários com facebook

3 thoughts on “Sobrenatural, do jeito que o figurino manda

  1. Eu também pensei no Darth Maul quando vi o demonio, huahauhuaua, cruel… A trilha sonora é realmente o ponto mais assustador do filme, e a história, apesar de ser um pouquinho original, não empolga em nada. Mas o toque de humor dado com os dois personagens “nerds caçadores de assombração”, foi algo que fugiu aos padrões de filmes do gênero.

  2. Verdade Frans, vc comentou sobre um detalhe importante, a história apesar de bem comum tem muitas características bem originais, e os nerds são realmente bons!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *