A garota da capa vermelha e o lobo mau

Da mesma diretora de Crepúsculo, A garota da capa vermelha é necessariamente a versão lupina do romance vampiresco, trabalha com praticamente a mesma estrutura, apesar de ser um pouco mais maduro, soa mais como uma garotinha de doze anos querendo ser perversa do que uma reescritura sombria de um conto por si só, já é bem sombrio.

A história se passa em um vilarejo que é assolado por um lobisomem, então a população oferece sacrifícios animais para acalmar a fera, o problema é que os sacrifícios já não são mais suficientes, ou são. De qualquer forma
o lobisomem ataca fatalmente uma aldeã, despertando revolta no povo, que vai ao encontro da aberração com sede de vingança.

Até ai sem novidades, mas as coisas começam a ficar complicadas quanto nesta empreitada pessoas são mortas,
e então um padre durão chamado Salomon, Gary Oldman, vem ao local, para ensinar o pobre povo a lidar com
o monstro utilizando seus métodos controversos o que ajuda bastante a encorpar
a trama.


A partir daí todo o filme rola em torno do que podemos chamar de Whodunnit ou Who Done it, que em tradução livre seria algo como “quem matou?” Técnica mais utilizada em romances policiais como Conan Doyle ou Edgar Alan Poe, que leva o leitor ou espectador a uma investigação sobre quem é o assassino. Bastante usada em filmes
de suspense.

A garota da capa vermelha possui um visual muito bem auxiliado por cores e texturas.
Dando ao ambiente um aspecto rustico e antigo, vivo e chocante ao mesmo tempo.
A capas vermelha, cores matizadas e contrastes muito fortes entre neve e cenário concedem o tom do longa,
mas não conseguem esconder as parcas interpretações, o pouco envolvimento de alguns personagens e os clichês superevidenciados que unidos a proposta mais pesada da produção deixaram muito a desejar.

Falando em tema pesado o sexo e a virgindade neste filme estão em uma espécie de evidencia velada, uma estratégia interessante da diretora que desperta no público interesse, pois sabemos que Valerie, Amanda Seyfried, nossa chapeuzinho vermelho tem algo de perverso, que fica nos olhares, nas frases maliciosas, neste aspecto a atriz trabalhou muito bem, só não foi muito feliz nos momentos mais dramáticos como mortes, perdas e afins.

Em comparação direta com o conto dos irmãos Grimm esta versão é sim mais adulta, digerível, claro, já que o original trata-se de uma fabula, e temos todas as características, como a casa da vovó no bosque, a cena das perguntas da orelha, olhos, boca e tal, que é muito boa.
Mas ainda assim a estratégia de encaixar o plot de crepúsculo dentro deste fez com que qualquer um que assistisse ao filme os relacionasse no ato.
O que tem lados bons e ruins. Os pontos bons dizem respeito a bilheteria que ganham do público do outro filme, e os ruins dizem respeito a todo o resto.

Esperava realmente que a reescritura da obra fosse caminhar para um lado mais pesado, chocante, nada de conto de fabulas para crianças como o conto original, e nem fábulas para meninas na puberdade como é no longa.
Talvez uma abordagem nos conformes de O labirinto do Fauno ou algo mais pesado ainda.
Claro que teria menos bilheteria, mas o filme seria bem marcante, talvez uma ótima ideia para o tipo de produção
que vai ganhar sequencias e precisa de notoriedade, mas no caso deste, a estratégia está perfeita.

Alexandre Prados

Comentários com Facebook

comentários com facebook

2 thoughts on “A garota da capa vermelha e o lobo mau

  1. Basicamente, o post diz o seguinte: “Se vc gosta de crepúsculo, vai amar esse também, mas se vc odeia crepúsculo…”.
    Pois é, os irmãos Grimm modificaram varios contos de fadas, pois as histórias originais eram muito mais pesadas. Chapéuzinho vermelho era uma dessas, e na versão original, segundo reza a lenda, chegou a comer a carne e beber o sangue da avó, ludibriada pelo lobo mau…
    Eu, quando vi o poster, achei q seria essa versão original anterior aos irmãos Grimm, mas quando vi o trailer, perdi completamente um interesse. Mais um filme feito apenas para ter bilheteria… E lamentável as últimas escolhas do excelente Gary Oldman para o cinema…

  2. Concordo com vc Frans, é triste este tipo de produção seguir este caminho.

    Agora a lenda anterior a dos Grimm eu não encontrei, se ainda souber onde encontrar me avisa! fuaehufahef

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *