Cilada.com

 

Cilada.com em minha opinião tem implícito no nome e na temática uma grande sacada para a sua divulgação. A correlação com a comunicação do site de vídeos Youtube, e também a trama que gira em torno de algo muito próximo do público em geral, que é a viralização de conteúdo na rede, propõe um visual chamativo e agradável, o que provavelmente vai despertar a curiosidade do público.

O filme conta a história de Bruno, Bruno Mazzeo, o péssimo namorado de Fernanda, Fernanda Paes Leme, que o pega  agarrando-se com outra garota em público. Enfurecida com a traição coloca no “intube” um vídeo do incrível desempenho de Bruno na cama e seus poucos segundos de ação. O desenrolar da trama se da a partir deste plot simples: o vídeo cai na rede e em pouco tempo todos já sabem, mas por causa das atitudes de Bruno, as coisas ficam cada vez piores à medida que o filme vai passando, e em alguns  momentos você já não aguenta mais a queda derradeira que se sucede com todos os personagens. Se não fosse o humor muito bem trabalhado, o filme seria sofrido e desconfortável com as atitudes vis dos personagens principais, e a quantidade de problemas que Bruno causa a sí mesmo.

A estréia só acontece no dia 8 de Julho deste ano, no entanto fui convidado para aprecia-lo em uma sessão para blogueiros aqui em São Paulo neste dia 28, e confesso que apesar de feliz pelo convite fiquei apreensivo, pois não imaginava que em meio a milhares de blogueiros eu fosse selecionados, ganhamos um CD com a trilha sonora do filme e um voucher de desconto em um restaurante. Muito bem informado pela equipe que promoveu as sessões, minha outras  preocupações foram alguns deslizes como a falta de alguns nomes na lista e o descaso com disposição e organização dos processos, antes, durante e depois da sessão. O destaque da noite foi o ator Serjão Loroza, interprete do cineasta amador Marconha. Serjão acompanhou a sessão, fez uma abertura de forma única e criativa com muito bom humor sotaque arrastado e diálogos fluidos. Além de brincar o tempo todo com o publico, exigiu aplausos, lançou palavrões e proporcionou um ambiente mais leve.

Livres das tenções fomos ao filme com o engraçadíssimo ator sentado na primeira fileira. Humor inteligente e pesado, cenas e diálogos que deixavam os espectadores chocados e incrédulos, o filme vai do politicamente correto ao extremamente escrachado. A interpretação e piadas dos personagens são convincentes e combinam muito bem com o filme, no entanto as jogadas com as mulheres, as inúmeras tentativas de fazer sexo e a forma como elas se mostram me pareceram pouco trabalhadas. Talvez para dar mais espaço ao resto da trama, o que propôs um leve tom de superficialidade e pressa nestes pontos do filme. Possivelmente um numero menor de mulheres em diferentes níveis de relação como o protagonista,  ganchos e relações mais consistentes pautassem melhor o filme.

E outro aspecto que deixou a desejar do filme foi o final. Além de muito previsível, também traz aquela impressão de apressado. Me recordo bem de ler no livro; Manual de Roteiro, ou Manuel, o primo pobre dos manuais de cinema e TV, que para se escrever um bom roteiro, não se devem ter uma ótima cena, e algumas boas para completar , e sim ter uma boa cena, e muitas outras ótimas para seu roteiro. Este aspecto fica tão evidente porque o filme quebra uma série de clichês, é criativo o bastante para tirar o espectador da zona de conforto por vezes, e atrapalhar quem costuma prever as próximas cenas do filme. E então estas boas cenas, mas que tomam um aspecto tão simplista perto das outras ficam apagadas, o que compromete minimamente o decorrer do filme. Mesmo assim um ótimo filme para rir do começo ao fim e se impressionar com as ciladas que a vida pode pregar.

 

Alexandre Prados

Comentários com Facebook

comentários com facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *